sábado, 5 de novembro de 2011

Prioridade Óssea Flutuante






Prioridade Óssea Flutuante


Os passos confusos quase trôpegos

experimentam os buracos inexistentes,

maneira usual de desacostumar-se

ao espesso tapete de concreto.

Braços pensos em peso diverso

desafiam o movimento decorado,

reinventando-se nas engrenagens ósseas

reguladas à desigualdade da carcaça.

A voz continua lambendo os tímpanos

lembrando que o espinho no flanco

Condiciona diariamente o oblíquo olhar,

posicionando o corpo a escorrer-se

em caminhos quase esquecidos.

Pondo-se em marcha quase dançável

abastece-se da irregularidade do vento

entrega-se ao dissonante bailado ósseo

na flutuante caminhada diária.

Distende-se na escolha de passos lentos

deslocados em temporalidade incalculável

colhendo-se em fragmentos moventes

desviando-se da dissimulada imposição

de locomover-se sob preceitos fundados

no lépido molde de passarelas vívidas.


Ninil




Fotos: Ninil

2 comentários:

  1. Impressionante a complexidade dos versos...

    Beijo carinhoso.

    ResponderExcluir
  2. impressionante mesmo
    Tininha

    ResponderExcluir