segunda-feira, 16 de maio de 2011

Cristina nos Olhos




Cristina nos Olhos


Lâmina negra desenrolando-se

rasgando o verde silencioso

afunilando o rumo certeiro

entre falantes memórias soltas

gritando passado em sussurros

de nítida atemporalidade verbal

destituindo da velocidade do olhos

o apreendido no raso da retina

restituindo o que se enroscou

no abismo profundo do olhar

espiralado ao primitivo instante

deitando-se em lembranças diárias

do ruidoso afago das esquinas

do insistente murmúrio das águas

na noite que nunca termina

no dia que nunca se finda

na vida que anda a passos largos

nos instantes que nunca se perderam

recuperados nos delicados acordes

que brotam entre pedras, gramas,

tijolos...

em cada passo que se perde

onde sempre me acharei.


Ninil






Fotos: Ninil

Um comentário:

  1. Um lugar que não se esquece, nem em versos...
    Um beijo.

    ResponderExcluir